Homofobia na Universidade: um estudo sobre os efeitos da disciplina de Psicologia das Organizações do curso de Administração da UFRJ com relação à manifestação de crenças homofóbicas no corpo discente


Ricardo Rohm e Vinicius Nunes em UFRJ

📅 JICTAC 2010 – 📅 Queering Paradigms IV 2012

Resumo:

Para a formação de um administrador criativo, ético e capaz de responder aos desafios de um mundo global, plural e tão diverso como se revela na atualidade das sociedades de mercado, faz-se mister que os graduandos aprendam a lidar com a diversidade humana, tanto cultural quanto de orientação sexual e de gênero. O presente projeto tem como objetivo realizar uma pesquisa entre os alunos do curso de Administração na UFRJ, que estão inscritos na disciplina de Psicologia das Organizações, para investigar e mensurar o nível de crenças consideradas homofóbicas, partilhadas por esses estudantes, em suas atitudes e percepções. Sendo a universidade pública no Brasil o lugar onde se encontra a “elite” intelectual do país, espera-se que essas pessoas ajam de forma mais consciente e menos preconceituosa que o resto da população. Porem, vários estudos vem demonstrando que isso não se aplica no caso da homofobia (Marinho, et al. 2004; Guth, et al. 2002; Castillo, et al. 2003, entre outros), o que nos leva a pensar sobre o caminho que a nossa sociedade vem tomando. A questão é: Como as aulas de Psicologia das Organizações afetam as crenças homofóbicas dos alunos de Administração? Para isso, utilizar-se-á um questionário preenchido pelos alunos matriculados em 2010, origem de uma escala devidamente validada para a mensuração do referido atributo, tanto no inicio como no fim da disciplina, e, comparar-se-á tais resultados àqueles obtidos por um grupo de controle, ou seja, alunos em igual número que não cursaram a disciplina de Psicologia. Para essas medições são inicialmente escolhidas três escalas, a escala de homofobia manifesta e sutil desenvolvida por Castillo e cols. (2003), a escala de Crenças sobre a Homossexualidade desenvolvida por Cerqueira-Santos, Winter, Salles, Longo, Teodoro (2007) e as escalas desenvolvidas por Lacerda, Pereira e Camino (2002) que são: escala de Rejeição à Intimidade, Escala de Expressão Emocional e Escalas de Explicações da Homossexualidade. Os resultados obtidos possibilitarão sugestões didático-pedagógicas alinhadas com a formação democrática e ética dos administradores.

Compartilhar


Postado por


Inspirações para o comentário:
abate, alegria, amuo
ânimo, ardor, arte
susto, avidez, bobeira
calma, cansaço, carranca
coleção, confusão, contemplação
criação, curiosidade, depressão
descontente, deslumbre, despertez
determinação, diversão, doente
empolgação, encanto, energia
esperança, espirituosa/o, estranheza
estresse, feliz, gelo
ímpeto, irritação, melancolia
nerd, ocupação, peculiar
pensamento, realização, riso
saltitante, satisfação, sombra
surpresa, trabalhando, travessa/o
triste, zanga
Lembre-se de que você veio aqui, porque compreendeu a necessidade de lutar contra si mesmo. Agradeça, portanto, a quem lhe proporcione a ocasião para isso.
Gurdjieff
Você pode alterar sua foto de perfil no Gravatar ou fazer login.

Deixe um comentário