PROGRAMA DE ESTUDOS E PESQUISAS EM
DESENVOLVIMENTO HUMANO, FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS TRANSFORMADORAS E GOVERNANÇA SOCIAL
Eponina, Ernesto Nazareth
Chevron esquerda

Inclusão e gestão da diversidade nas organizações brasileiras mediante certificação

,
📅 DATA DA PUBLICAÇÃO
🔖 PALAVRAS-CHAVE
📃 DIVULGADO EM

UFRJ,

🗺️ CIDADE
AUTORES:

ResearchGate – 📅 SIAc 2017

Resumo:

Um estudo sobre diversidade e ambiente de trabalho descortina uma multiplicidade de possibilidades de enfoques de pesquisa (IRIGARAY EFREITAS, 2013). A literatura cientifica brasileira sobre diversidade sexual nas organizações, apesar de ainda pouco explorada, tem focado na vantagem competitiva trazida às organizações que valorizam a diversidade e sua importância (ROHM, FERNANDES E CABRAL, 2012). Uma maior diversidade da mão-de-obra incentiva a criatividade dos empregados, contribui para a melhoria no processo decisório da empresa, uma vez que a torna mais flexível e ágil, pois facilita a troca de informações sobre experiências, valores, atitudes e a apreensão de novas abordagens (IRIGARAY E FREITAS, 2013). Porém, pouco se fala sobre gerenciamento dessa diversidade, criação de políticas organizacionais inclusivas e sensibilização da força de trabalho das organizações. Esta pesquisa propõe uma metodologia de certificação brasileira para empresas “amigas da diversidade LGBT”. Segundo a International Organization for Standardization (ISO), certificação é a concessão, por um organismo independente, de garantia escrita (um certificado) que o produto, serviço ou sistema em questão atende à requisitos específicos. Os requisitos do modelo proposto são práticas de inclusão e gestão da diversidade de orientação sexual. Demonstra-se, também, sua relevância estratégica para as organizações, pois, as pessoas performam melhor quando podem ser elas mesmas e a organização está demonstrando ativamente seu comprometimento com a igualdade LGBT (Workplace Equality Index, 2017) ao certificar-se. Para atingir este objetivo, utilizou-se a pesquisa bibliográfica como metodologia; fez-se uma revisão da literatura dos últimos dez anos acercados certificados existentes no âmbito internacional e selecionou-se os de maior repercussão por terem maior engajamento e reconhecimento de empregadores como ferramentas de benchmarking em inclusão da diversidade LGBT. Entre estes, o Corporate Equality Index, o qual obteve resposta de 327 das empresas Fortune 500 em 2017 e foi desenvolvido pela Human Rights Campaign, organização estadunidense que trabalha em prol da igualdade para a minoria LGBT no país, e o Workplace Equality Index, do Reino Unido, o qual teve o envolvimento de439 organizações em 2017, desenvolvido pela Stonewall, que, como uma de suas vertentes, desenvolve um programa, Diversity Champions, o qual busca auxiliar organizações a se tornarem mais inclusivas para a minoria LGBT. No âmbito nacional, analisou-se o Selo Paulista da Diversidade criado em 2007 pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho. Ao descrever-se os processos de obtenção dos certificados dessas instituições buscou-se mediante o benchmarking as melhores práticas e, ao mesmo tempo, as que se ajustam à realidade brasileira com vistas a se propor um modelo de certificação nacional.

Abstract:

A study on diversity and work environment unfolds a plurality of research focuses possibilities (IRIGARAY E FREITAS, 2013). The Brazilian scientific literature on sexual diversity in organizations, although little explored, has been focusing on the competitive advantage brought to organizations that value sexual diversity and its importance (ROHM, FERNANDES E CABRAL, 2012). A more diverse workforce stimulates creativity among workers and contributes to the decision-making process, once it helps the company to become more flexible and agile, as a diverse environment favours the exchange of experiences, values, attitudes and learning of different approaches (IRIGARAY E FREITAS, 2013). However, little is said on managing sexual diversity on the workplace, the creation of inclusive organizational policies and workforce awareness. This research proposes a Brazilian certification method to LGBT friendly companies. According to the International Organization for Standardization (ISO), certification is the provision by an independent body of written assurance (a certificate) that the product, service or system in question meets specific requirements. The requirements of the proposed method would be inclusion and management of sexual diversity practices and policies. It also demonstrates its strategic relevance to organizations, as people perform better when they can be themselves and the organizations are actively showing their commitment to LGBT equality (top 100 employers, 2017) by getting certified. To reach that goal, the study has been conducted using the bibliographic and documentary methodologies. A revision of the last ten years in existing certification in both international and national environments was made and were selected the ones with more repercussion and acknowledged as benchmarking tools for inclusion of LGBT diversity by organizations. Amid the international ones, the Corporate Equality Index, which obtained 327 answers of Fortune 500 companies in 2017 and was developed by the Human Rights Campaign, an organization from the US that works in favour of LGBT equality in that country, and the Workplace Equality Index, from the United Kingdom, in which 439 organizations took part in 2017, developed by Stonewall, an organization that also promotes the Diversity Champions programme, that actively helps organizations to become more inclusive to the LGBT minority. At the national level, the Selo Paulista da Diversidade, created by Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho in 2007 was analysed. By describing the certification obtaining processes, it was sought to analyse, through benchmarking, the best practices and the ones which would be a better fit to the Brazilian reality aiming to the proposition of a national certification methodology.
Key words: organizational certification, LGBT minority, diversity and inclusion, competitive advantage

ANEXO:

Compartilhar


Inspiração:
Gurdjieff
Lembre-se de que você veio aqui, porque compreendeu a necessidade de lutar contra si mesmo. Agradeça, portanto, a quem lhe proporcione a ocasião para isso.
Alterar sua foto de perfil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. <strong>Negrito</strong>
  2. <em>Itálico</em>
  3. <blockquote>Citação</blockquote>
  4. 🙏
  5. 👏
  6. 🤩
  7. 😍
  8. 😘
  9. ❤️
  10. 😉
  11. 😊
  12. 😁
  13. 👍
  14. 🤔
  15. 😄
  16. 😎
  17. 🐘

 

Pesquisas recentes

Ver todas as pesquisas ›

Linhas de pesquisa

Temas de pesquisa e estrutura matricial

Desenvolvimento humano

Acessar pesquisas ›

🌈Com ênfase na diversidade sexual, os estudos analisam as relações de poder e preconceito presentes nas organizações, estimulando o combate à discriminação e à homofobia.

Observam-se quais os modelos adotados para a gestão da diversidade com base nas boas práticas de inclusão – sejam elas nacionais ou internacionais.

Busca-se compreender as vantagens competitivas existentes em um ambiente diverso, considerando também o bem estar de cada colaborador.

A conscientização e o enfrentamento acerca das manifestações homofóbicas nas organizações e demais ambientes de trabalho é crucial para a erradicação da homofobia em nossa sociedade.

“Tanto na esfera do conhecimento, quanto na da política, da sociedade e da própria vida humana, a diversidade deve ser percebida com entusiasmo, com paixão, compaixão e com o encantamento de quem redescobre o mundo. Assim é para mim, permanentemente. Em cada gesto.”

Rohm, em Por uma elegia à Diferença!

Liderança transformadora

Acessar pesquisas ›

🦅 Estes estudos visam compreender a existência e o surgimento de líderes, a análise e aprendizado das competências fundamentais da liderança. Formamos líderes para transformar a sociedade em prol da diversidade humana.

A liderança aqui não aparece como mero recurso para maior vantagem competitiva, mas como forma de se instaurar e de se gerir a transformação.

Transformação significando a ruptura com antigos padrões e a elevação do nível de consciência, tanto pessoal quanto organizacional.

“A única maneira de realizar algo importante é um desejo verdadeiro e pungente, uma vibração transformadora, um presságio de que a vida e a felicidade podem ser ainda mais e maiores…

…"a verdade pertence aos olhos que a vêem" assim como a sabedoria se origina da vivência autêntica de cada um, do olhar por dentro, da celebração da diferença, da entrega, do aprender com amor e coragem de mudar a si mesmo, para além dos limites, para poder merecer mudar o mundo.”

Rohm, em Sócrates e Rohm refletem.

Humanidades digitais e governança social

Acessar pesquisas ›

⚖️ O tema Humanidades Digitais contempla o uso das tecnologias e mídias digitais na geração e propagação de informações, além de meio de comunicação, junto à sociedade e pelas organizações. Em nosso programa, temos investigado e aprofundado nossas pesquisas e estudos nesta temática, observados o massivo uso das ferramentas tecnológicas e digitais, em todo o mundo mas especialmente no Brasil. Esta forma de proceder vem interferindo e orientando a apropriação do conteúdo produzido, afetando o comportamento social e subsidiando a tomada de decisão nas organizações, inclusive no contexto político, com o comprometimento dos sistemas políticos de representação vigentes.
Desenvolvemos lideranças capazes de enfrentar os desafios decorrentes da datificação da sociedade e do capitalismo de vigilância.

Quanto à Governança, os estudos buscam entender as relações pelas quais uma empresa é controlada e administrada, trabalhando para além do paradigma padrão de governança voltada para os shareholders (detentores de ações), mas também para os stakeholders (sociedade, clientes, fornecedores, funcionários e acionistas).

Desejamos estimular a implementação de práticas de gestão socioambientais sustentáveis e éticas nas organizações.

Existe uma preocupação com o resgate social da produção da riqueza que parece obstaculizado pela crise do Estado contemporâneo. A governança é  entendida como um campo de retomada social da produção e da distribuição das riquezas.

"A crise de referências e valores fundamentais da sociedade moderna, acompanhada pela crise de suas instituições tradicionais, desorganizam e desqualificam os então conhecidos e praticados vínculos sociais essenciais aos processos de identificação dos indivíduos, e, portanto, fragmentam suas identidades e abrem um vazio de sentido a ser pretensamente ocupado pela Organização contemporânea, com seu imaginário de excelência e sucesso, ensejando a discussão dos modos de subjetivação inaugurados por suas práticas discursivas."

Rohm, em ​A Produção de Subjetividades em Organizações Contemporâneas: Práticas Discursivas e Políticas da Empregabilidade.

Receba notícias