PROGRAMA DE ESTUDOS E PESQUISAS EM
DESENVOLVIMENTO HUMANO, FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS TRANSFORMADORAS E GOVERNANÇA SOCIAL
Eponina, Ernesto Nazareth
Chevron esquerda

O papel da Universidade na formação de lideranças transformadoras no Brasil

,
📅 DATA DA PUBLICAÇÃO
🔖 PALAVRAS-CHAVE
📃 DIVULGADO EM

UFRJ,

🗺️ CIDADE
AUTORES:

1ª etapa: Ricardo Rohm, Mariana Nadai e José Martins em UFRJ
2ª etapa: Ricardo Rohm, Thaís Bento, José Martins e Felipe Tinoco em UFRJ

Pesquisa em andamento:
A 1ª etapa, concluída em 2017, gerou um relatório: um artigo em revisão final.
A 2ª etapa está em andamento, com bolsa científica e tecnológica PIBIC – CNPq.

Pesquisa em andamento – ResearchGate – 📅 SIAc 2017 – 📅 SIAc 2018 – 📅 SIAc 2019 – 🏅 Prêmio

Resumo:

Mapear e analisar as principais práticas pedagógicas relacionadas à formação e desenvolvimento de competências de liderança nos cursos de graduação em Administração, Administração Pública e Engenharia de Produção da UFRJ a fim de propor possíveis sugestões de melhoria.

Considerando-se a necessidade brasileira atual, tanto de líderes como de transformação social, este projeto buscou compreender a liderança transformadora e seu desenvolvimento no âmbito da formação acadêmica na Universidade (Rohm, 2016). Através do mapeamento e análise das disciplinas e ementas pedagógicas relacionadas à formação e desenvolvimento de competências de liderança, este estudo almejou apreender, como a UFRJ, em seus cursos de graduação em Administração, Administração Pública e Engenharia de Produção, contribui para a formação de lideranças transformadoras, ou seja, ética, social e ambientalmente responsáveis. Não obstante a produção do conhecimento científico sobre o tema, visto que é essencial discutir a importância da universidade como organização sócio-política formadora de futuros tomadores de decisão (Ribeiro, 2013), esta pesquisa se presta a propor possíveis sugestões de melhoria aos respectivos Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs).

Liderança transformadora está intimamente ligada ao conceito de mudança (Bass e Riggio, 2006 apud Matzler; Bauer; Mooradian, 2015), que transmuta drasticamente o modo como o indivíduo vê a si mesmo e o mundo em que vive, e que está no cerne do aprendizado (Brown e Posner, 2001), chancelando a importância das Universidades, principalmente as públicas, na sociedade brasileira. De acordo com o Plano Desenvolvimento Institucional da UFRJ (PDI – 2006), consiste de sua missão “proporcionar à sociedade brasileira os meios para dominar, ampliar, cultivar, aplicar e difundir o patrimônio universal do saber humano, capacitando todos os seus integrantes a atuar como força transformadora”, indicando que nutrir e promover lideranças transformadoras constituem “estratégias essenciais à Universidade contemporânea no intuito de cumprir seu papel socioeconômico, político e humanista” (Rohm, 2016). O uso efetivo dessas práticas, além de produzir conhecimento, lapida o potencial e as competências dos indivíduos, e forma uma cultura de liderança e aprendizado que, segundo Brown e Posner (2001), é a ação suprema no desenvolvimento de lideranças, e mais além, no desenvolvimento humano, em seu desafio de construir integridade (Rohm, 2016), o que revela o potencial de uma Universidade transformadora e ética.

Adotou-se a metodologia qualitativa de pesquisa, uma vez que o estudo se utilizou de análise documental (Creswell, 2010), das ementas dos cursos e do PDI da UFRJ (2006), e de revisão da literatura, que não revelou pesquisa anterior sobre o tema, para compor o arcabouço teórico e inseri-la no diálogo maior na academia (Cooper, 1984; Marshall e Rossman, 2006 apud Creswell, 2010). Quanto à enumeração das competências da liderança transformadora, utilizou-se a técnica de análise qualitativa do conteúdo com a criação de categorias a priori e a posteriori (Franco, 2003), partindo-se daquelas preexistentes, elencadas pela literatura sobre o tema (Stone; Russell; Patterson, 2004) e incluíram-se outras que possam retratar as especificidades desse tipo de liderança, e o modo como ela permeia e se entrelaça às ementas analisadas.

Palavras-chaves: liderança transformadora, formação de liderança, universidade, competências de liderança

Abstract:

The role of the University in the formation of transformational leadership in Brazil

Considering Brazil’s current need for better leaders and social transformation, this project sought to understand transformational leadership and its development within the scope of Higher education institutions, as the University (ROHM, 2016). Through the mapping and analysis of the disciplines and pedagogical menus (syllabus) related to the training and development of leadership competencies, this study aimed at understanding and describing how the Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ), in its undergraduate courses in Administration, Public Administration and Production Engineering, contributes to the education of transformational leadership, which means ethically, socially and environmentally responsible leaders. Despite the production of the scientific knowledge related to this subject, it remains essential for one to discuss the importance of the university as a socio-political organization towards fostering the up binging of future decision-makers (Ribeiro, 2013). This research lends itself to proposing some promising suggestions for the improvement of the university teaching units and departments related to this challenge. 

Transformational leadership is connected and responds positively and actively to change (BASS; AVOLIO, 1990), which dramatically affects how the individual sees himself and the world in which he lives (BROWN; POSNER, 2001). This perspective reinforces the importance of universities in the Brazilian society, especially the public ones, which are financed by the taxes paid by the population and should demonstrate accountability and efficacy towards society. According to the Institutional Development Plan of UFRJ (PDI – 2006), its mission is to provide Brazilian society with the means to dominate, expand, cultivate, apply and disseminate the universal patrimony of human knowledge, enabling all of its members to act as a transforming force “, indicating that nurturing and promoting transformational leadership stands as an essential strategy for the contemporary university to achieve and fulfill its socio-economic, political and humanist roles (ROHM, 2016). The effective use of these practices, in addition to producing high leveled knowledge, bridges the potential and the competences of the individuals, and forms the culture of leadership and learning which, according to Brown and Posner (2001), and Rohm (2016), becomes paramount in the development of leadership, and beyond, fostering human development, in its challenge to bring about integrity, and reveals the potential of a transformative and ethical university.

The qualitative research methodology was adopted, since the study was based on documentary analysis (CRESWELL, 2010), UFRJ`s pedagogical menus (syllabus) and PDI (2006), and a literature review, to briefly summarize the main ideas already discussed by other authors who have been dealing with this subject, raising criticism and doubts, it seemed appropriate (GERHARDT, SILVEIRA, 2009). Priority and Posteriori (Franco, 2003) were used with the creation of categories, starting with the preexisting ones, listed in the literature on the subject (STONE; RUSSEL; PATTERSON, 2004), and others were included which could portray the specificities of this type of leadership, and how it pervades and interweaves the pedagogical menus (syllabus).

Keywords: transformational leadership, leadership training, university education, leadership competencies

ANEXO:

Compartilhar


Inspiração:
Gurdjieff
Lembre-se de que você veio aqui, porque compreendeu a necessidade de lutar contra si mesmo. Agradeça, portanto, a quem lhe proporcione a ocasião para isso.
Alterar sua foto de perfil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. <strong>Negrito</strong>
  2. <em>Itálico</em>
  3. <blockquote>Citação</blockquote>
  4. 🙏
  5. 👏
  6. 🤩
  7. 😍
  8. 😘
  9. ❤️
  10. 😉
  11. 😊
  12. 😁
  13. 👍
  14. 🤔
  15. 😄
  16. 😎
  17. 🐘

 

Pesquisas recentes

Ver todas as pesquisas ›

Linhas de pesquisa

Temas de pesquisa e estrutura matricial

Desenvolvimento humano

Acessar pesquisas ›

🌈Com ênfase na diversidade sexual, os estudos analisam as relações de poder e preconceito presentes nas organizações, estimulando o combate à discriminação e à homofobia.

Observam-se quais os modelos adotados para a gestão da diversidade com base nas boas práticas de inclusão – sejam elas nacionais ou internacionais.

Busca-se compreender as vantagens competitivas existentes em um ambiente diverso, considerando também o bem estar de cada colaborador.

A conscientização e o enfrentamento acerca das manifestações homofóbicas nas organizações e demais ambientes de trabalho é crucial para a erradicação da homofobia em nossa sociedade.

“Tanto na esfera do conhecimento, quanto na da política, da sociedade e da própria vida humana, a diversidade deve ser percebida com entusiasmo, com paixão, compaixão e com o encantamento de quem redescobre o mundo. Assim é para mim, permanentemente. Em cada gesto.”

Rohm, em Por uma elegia à Diferença!

Liderança transformadora

Acessar pesquisas ›

🦅 Estes estudos visam compreender a existência e o surgimento de líderes, a análise e aprendizado das competências fundamentais da liderança. Formamos líderes para transformar a sociedade em prol da diversidade humana.

A liderança aqui não aparece como mero recurso para maior vantagem competitiva, mas como forma de se instaurar e de se gerir a transformação.

Transformação significando a ruptura com antigos padrões e a elevação do nível de consciência, tanto pessoal quanto organizacional.

“A única maneira de realizar algo importante é um desejo verdadeiro e pungente, uma vibração transformadora, um presságio de que a vida e a felicidade podem ser ainda mais e maiores…

…"a verdade pertence aos olhos que a vêem" assim como a sabedoria se origina da vivência autêntica de cada um, do olhar por dentro, da celebração da diferença, da entrega, do aprender com amor e coragem de mudar a si mesmo, para além dos limites, para poder merecer mudar o mundo.”

Rohm, em Sócrates e Rohm refletem.

Humanidades digitais e governança social

Acessar pesquisas ›

⚖️ O tema Humanidades Digitais contempla o uso das tecnologias e mídias digitais na geração e propagação de informações, além de meio de comunicação, junto à sociedade e pelas organizações. Em nosso programa, temos investigado e aprofundado nossas pesquisas e estudos nesta temática, observados o massivo uso das ferramentas tecnológicas e digitais, em todo o mundo mas especialmente no Brasil. Esta forma de proceder vem interferindo e orientando a apropriação do conteúdo produzido, afetando o comportamento social e subsidiando a tomada de decisão nas organizações, inclusive no contexto político, com o comprometimento dos sistemas políticos de representação vigentes.
Desenvolvemos lideranças capazes de enfrentar os desafios decorrentes da datificação da sociedade e do capitalismo de vigilância.

Quanto à Governança, os estudos buscam entender as relações pelas quais uma empresa é controlada e administrada, trabalhando para além do paradigma padrão de governança voltada para os shareholders (detentores de ações), mas também para os stakeholders (sociedade, clientes, fornecedores, funcionários e acionistas).

Desejamos estimular a implementação de práticas de gestão socioambientais sustentáveis e éticas nas organizações.

Existe uma preocupação com o resgate social da produção da riqueza que parece obstaculizado pela crise do Estado contemporâneo. A governança é  entendida como um campo de retomada social da produção e da distribuição das riquezas.

"A crise de referências e valores fundamentais da sociedade moderna, acompanhada pela crise de suas instituições tradicionais, desorganizam e desqualificam os então conhecidos e praticados vínculos sociais essenciais aos processos de identificação dos indivíduos, e, portanto, fragmentam suas identidades e abrem um vazio de sentido a ser pretensamente ocupado pela Organização contemporânea, com seu imaginário de excelência e sucesso, ensejando a discussão dos modos de subjetivação inaugurados por suas práticas discursivas."

Rohm, em ​A Produção de Subjetividades em Organizações Contemporâneas: Práticas Discursivas e Políticas da Empregabilidade.

Receba notícias